Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Comissão P2R2 tenta identificar a origem de espuma branca no rio Taquari

Publicação:

Espuma branca e de aspecto oleoso foi identificada no curso da água ao longo de 80 km.
Espuma branca e de aspecto oleoso foi identificada no curso da água ao longo de 80 km. - Foto: Defesa Civil RS
Por Ana Paola Dala Barba

Na sexta-feira (17), técnicos da Divisão de Emergência da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) e da Comissão Estadual de Prevenção, Preparação e Resposta a Emergências Ambientais com Produtos Perigosos (P2R2), coordenada pela Defesa Civil Estadual, percorreram o trecho do rio Taquari até o rio das Antas, entre as cidades de Bento Gonçalves e Estrela, para averiguarem a presença de uma espuma branca e de aspecto oleoso no curso da água. Uma reunião dos órgãos de resposta será realizada na próxima semana para definir ações em relação a essa contaminação.

A Divisão de Emergência da Fepam foi acionada, através de processo administrativo de denúncia emitido pelo Ministério Público, de que no rio Taquari havia uma grande quantidade de espuma. A Fepam acionou através da Defesa Civil a Comissão P2R2 e o Batalhão de Aviação da Brigada Militar, para ser realizado um sobrevoo no rio Taquari para verificar algum lançamento clandestino.

De acordo com o engenheiro químico André Milanez, da Defesa Civil e integrante da Comissão P2R2, durante o sobrevoo, foi possível constatar que a espuma começa na região na Serra e percorre mais de 80 quilômetros. “Amostras de água foram recolhidas para serem analisadas na próxima semana. É muito importante que cada município informe a Defesa Civil e a Fepam quando identificar um lançamento clandestino ou alterações no aspecto na água dos rios de sua região, isso aumenta as chances de identificação do ponto de origem”, concluiu Milanez.


Defesa Civil do Rio Grande do Sul